“A avaliação não é uma tortura medieval. É uma invenção mais tardia, nascida com os colégios por volta do século XVII e tornado indissociável do ensino de massa que conhecemos desde o século XIX, com a escolaridade obrigatória”  (PERRENOUD, 1999)

A avaliação ( na escola) segue por caminhos, onde seu objetivo principal não é realizado. Pois muitas não avalia a realidade do aluno. O aluno tem medo de ser avaliado, e ela serve para que o aluno estude, mas aprenda de forma momentânea, somente naquele momento da avaliação; E isso precisa ser mudado!!!

Existem dois tipos de avaliação: Formativa e Somátiva

A avaliação formativa é geralmente realizada durante todo o processo de ensino-aprendizagem. É melhor aproveitada quando o resultado (feedback) é rapidamente fornecido para os alunos, permitindo que possam corrigir eventuais erros de interpretação do conteúdo ensinado. É um termômetro para o professor e o aluno saberem como o aprendizado está sendo desenvolvido, bem ou mal, permitindo que o aluno se recupere agilmente.

A Avaliação Somativa, geralmente é realizada no final de um curso e é conhecida como ‘prova’, ou seja, serve para classificar se o aluno ‘passou’ ou não. Pela obrigatoriedade dos professores fornecerem ‘notas’, é a que é mais aplicada no ensino tradicional.

Avaliar e de fundamental importância para o processo de ensino-aprendizagem e nas diversas áreas, seja da educação, seja em outras.